Moradores que coletaram comida em caminhão de lixo recebem doações em Fortaleza

Moradores que foram vistos procurando comida dentro de um caminhão de lixo na porta de um supermercado no Bairro Cocó, em Fortaleza, receberam doações de alimentos e kits de higiene, na manhã desta quarta-feira (24). As informações são do G1/CE

O vídeo, gravado pelo motorista de aplicativo André Queiroz, foi compartilhado nas redes sociais em 17 de outubro e teve repercussão internacional. Nas imagens, registradas em 28 de setembro, homens e mulheres coletam comida jogada fora por um comércio.

Nesta quarta-feira (24), a ação de doação foi uma iniciativa da Legião da Boa Vontade (LBV) e da Central Única das Favelas (Cufa), que ajuda 100 famílias da Comunidade do Trilho, no Bairro Aldeota, em situação de pobreza, incluindo o grupo visto recolhendo comida do lixo, que mora na região.

Conforme a psicóloga da LBV, Michele Lisboa, a Comunidade foi escolhida para receber as doações devido ao cenário de probreza.

“A Comunidade do Trilho foi contemplada hoje com essa entrega diante de toda essa realidade, de conhecimento da triste realidade vivenciada pela situação da fome, da necessidade que foi ampliada diante da pandemia e dessa crise econômica que todos estamos vivendo. Em contato com a Cufa, na realização dessa parceria, que nos ajudou com essa logística de acionar as famílias para que a gente possa realizar esse atendimento com qualidade e solidariedade a todos eles”, afirma Michele Lisboa.

A desempregada Jocasta Batista, de 31 anos, uma das pessoas que aparece no vídeo recolhendo comida do caminhão e chegou a relatar que recolhia “carne verde” para comer, foi uma das contempladas com as doações. (Assista no vídeo acima o relato feito por Jocasta em outubro)

“Não só a gente vai ganhar, mas muitas pessoas também. A gente necessita muito dessas coisas e agradece por lembrarem da gente. Estou muito feliz”, disse Michele.

A LBV continua recebendo doações e pretende arrecadar 46 toneladas de alimentos, para atender 2.250 famílias da capital cearense em situação de vulnerabilidade.

Deixe um comentário

error: O conteúdo está protegido!