Login to your account

Username *
Password *
Remember Me

Create an account

Fields marked with an asterisk (*) are required.
Name *
Username *
Password *
Verify password *
Email *
Verify email *
Captcha *
Reload Captcha
Imagem Do Topo

Ex-presidente do Peru se mata ao ser preso no caso Odebrecht

O ex-presidente do Peru Alan García se suicidou nesta quarta-feira (17/04), com um tiro na cabeça, no momento em que a polícia chegou a sua casa em Lima para prendê-lo. Ele era investigado por suspeita de ter recebido propina da Odebrecht, em meio a um escândalo de corrupção que abala a classe política peruana.

O político social-democrata – presidente do Peru entre 1985 e 1990 e entre 2006 e 2011 – chegou a ser encaminhado pela própria polícia ao hospital Casimiro Ulloa, na capital peruana. Ele foi submetido a uma cirurgia de emergência. 

De acordo com o jornal El Comercio, a polícia chegou com uma ordem para entrar na residência de García por volta das 6h25 no horário local. Após entrarem, os agentes anunciaram a ordem de prisão.

O ex-presidente então pediu para subir até seu quarto para falar com advogados. Em seguida, os policiais ouviram o disparo. García havia disparado contra a própria cabeça.

Além de García, também foi ordenada a detenção de Luis Nava, secretário da presidência durante o governo do líder do Partido Aprista, e Miguel Atala, ambos colaboradores próximos do ex-presidente e apontados como seus testas-de-ferro.

A investigação contra García trata de supostos subornos pagos pela empreiteira brasileira Odebrecht, durante o segundo mandato na presidência. A situação legal de García se complicou depois que no domingo foi divulgado que a Odebrecht, em acordo de delação premiada com a Justiça peruana, revelou que Luis Nava e seu filho José Antonio receberam 4 milhões de dólares para a concessão do contrato de construção da linha do metrô.

Em novembro de 2018, García tentou sair do Peru e pediu asilo no Uruguai, mas sem sucesso.

Depois do Brasil, o Peru é um dos países mais afetados pelas propinas da Odebrecht, que admitiu ter pagado 29 milhões de dólares a três governos peruanos.

 

Também estão sendo investigados os ex-presidentes Alejandro Toledo (2001-2006), que fugiu para os EUA e enfrenta um pedido de extradição, e Ollanta Humala (2011-2016), que responde em liberdade condicional. O ex-presidente Pedro Pablo Kuczynski, que renunciou em março de 2018 após denúncias de corrupção, foi preso em 10 de abril de forma temporária.

 

Leia também: 

Grávida de quadrigêmeos, mulher diz: “Quero abortar só os meninos”

Avalie este item
(0 votos)

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.

Nossos Contatos

Entre em contato conosco

WhatsApp - 85 8121-5746

 

ANUNCIE EM NOSSO SITE E APAREÇA DE VERDADE

TEMOS UM ESPAÇO ESPECIAL PARA SEU ANUNCIO

 

Imagens das Postagens

Adolescente de 15 anos invade residência após ser perseguido por criminosos e termina executado em Aquiraz

Passageiro é esfaqueado ao reagir a tentativa de assalto a ônibus em avenida de Fortaleza

Empresário é morto a tiros na frente da esposa grávida de nove meses ao parar em posto para encher pneu em Fortaleza

Moradora do José Walter em Fortaleza recebe conta de água no valor de R$ 16 mil reais

Em menos de 24 horas, redes sociais do novo partido de Bolsonaro, atingem quase 300 mil seguidores

Câmera de segurança flagra furto de moto na Jurema em Caucaia

Iniciada licitação para requalificação da Lagoa do Tabapuá em Caucaia

Torcedor leva tiro de bala de borracha na Arena Castelão após reclamar de spray de pimenta jogado por guarda municipal

MC Gui após polêmica: “Não tenho condição de subir ao palco”

PORTAL METRÓPOLE NEWS © 2018 Todos direitos reservados